Paraíba
Água do Eixo Norte da transposição só deve chegar à PB em meados de 2020, constatam deputados
As águas da Transposição, através do Eixo Norte, infelizmente, só chegarão à Paraíba em meados do próximo ano.

Publicado em 09/03/2019 19:09 - Atualizado em 09/03/2019 19:09

Foto: Reprodução

As águas da Transposição, através do Eixo Norte, infelizmente, só chegarão à Paraíba em meados do próximo ano. Essa foi uma das principais constatações de uma visita técnica realizada, nesta sexta-feira (08), por uma caravana da Assembleia Legislativa da Paraíba, coordenada pelo deputado e presidente da Frente Parlamentar da Água e da Agricultura Familiar da ALPB, Jeová Campos (PSB), em trechos da PB, PE e CE. Na visita foi identificado qual é o problema do Eixo Norte da Transposição que vai atrasar a chegada das águas à Paraíba e atual situação dos trechos da obra nos três estados visitados.

“Quando foi inaugurada a estação de Bombeamento Nº 3, que era para encher a barragem de Negreiros, um dique desta barragem se rompeu e, por isso, a obra vai atrasar em, aproximadamente, um ano. Tudo por causa deste rompimento ocorrido em maio de 2018”, explica Jeová. Segundo ele, o rompimento se deu logo após a inauguração da estação e por isso o enchimento dela não foi realizado.

De acordo com Jeová, como a obra se intercala e uma etapa depende da outra, a impossibilidade do enchimento da estação de Bombeamento Nº 3, em Negreiros (PE), comprometeu o transcurso da água, por gravidade, para os demais reservatórios, a exemplo do de Milagres, de Jati, de Pombos I e II, de Cana Brava, de Boa Vista e Caiçara. “Para encher esses reservatórios, nós precisamos de um ano de bombeamento, sem qualquer intercorrência, por isso, a água só chegará à Paraíba, apesar da obra estar praticamente pronta, em meados de 2020”, lamentou o parlamentar.

Além de Jeová, participaram da visita técnica, que começou em Cajazeiras, depois seguiu para Salgueiro (PE), passou pelo complexo da barragem de Negreiros, onde foi constado o rompimento do dique do reservatório, e encerrada na barragem de Jatí (CE), os deputados Galego Souza e Moacir Rodrigues, além de representantes de vários segmentos da sociedade civil organizada.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Durante a visita também foi constatado que a barragem de Jati, Morros e Boa vista estão todas prontas. Porém, a operação desse sistema depende da resolução do problema do dique que se rompeu em Negreiros. “Sem resolver o dique, nós não teremos água na Paraíba. Isso atrasou de forma bastante grave a obra. Nossa expectativa era ter água ainda esse ano, mas, infelizmente isso não acontecerá. Pelo que vimos na barragem de Negreiros, a água só chegará no final de 2020. Estou muito triste com essa constatação, pois isso significa um prejuízo incalculável para o povo paraibano”, lamentou Jeová.

O próximo passo agora, segundo o deputado, será colocar todos os dados em um relatório e marcar uma audiência com o ministro do Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto, para cobrar as providências necessárias para a conclusão do Eixo Norte da Transposição. O deputado lembrou ainda que é importante mobilizar a bancada federal da Paraíba e dos estados de PE, RN e CE para que os parlamentares possam fazer no Congresso Nacional, o mesmo trabalho que a ALPB está fazendo. “A união de forças fará toda a diferença nessa reta final da obra, afinal, já esperamos muito para receber as águas da Transposição”, disse Jeová, que fez um balanço positivo da visita. “O que vi hoje me dá a certeza de que o nosso projeto de desenvolvimento da agricultura, a partir das águas da Transposição, com a perenização do Rio Piranhas, acontecerá, embora com atraso, ele será uma realidade a partir do próximo ano”, disse Jeová.

Sobre o Eixo Norte

O Eixo Norte da Transposição constitui-se em um percurso de, aproximadamente, 400 km, com ponto de captação de águas próximo à cidade de Cabrobó (PE). De acordo com o projeto, essas águas serão transpostas aos rios Salgado e Jaguaribe até os reservatórios de Atalho e Castanhão no Ceará; ao Rio Apodi, no Rio Grande do Norte; e Rio Piranhas-Açu, na Paraíba e Rio Grande do Norte, chegando aos reservatórios de Engenheiro Ávidos e São Gonçalo, no sertão paraibano, além de Armando Ribeiro Gonçalves, Santa Cruz e Pau dos Ferros, no Rio Grande do Norte.

Por Blog do Ninja


APP do SensocriticoPB
Google Play Store Apple App Store