Política
Em ‘dia D’, Veneziano minimiza crise no PSB/PB: “Eu não identifico razões para que a gente não supere isso”

Publicado em 09/09/2019 14:52 - Atualizado em 09/09/2019 14:52

Reprodução

O senador Veneziano Vital do Rêgo (PSB) falou em uma emissora de rádio de João Pessoa nesta segunda-feira (09) sobre o imbróglio dentro do PSB paraibano que culminou com a marcação de uma reunião, pelo presidente nacional da sigla Carlos Siqueira, para tratar sobre o tema, na tarde de hoje.

 

 
 
 

De acordo com Veneziano, ele não vê razões para que a situação não seja resolvida na reunião de logo mais. O socialista disse que já conversou com o ex-governador Ricardo Coutinho, assim como com o atual gestor estadual João Azevêdo e trabalhou para o realinhamento de ambos ao projeto no estado, mas disse que cabe apenas aos dois o desfecho da situação.

“O meu comportamento sempre foi no encaminhamento dessa recomposição, eu não identifico razões para que nós não superássemos uma situação que é indesejável como essa. É indesejável para o partido, é indesejável para o projeto afinal de contas esse projeto foi vitorioso nos últimos anos em face daquilo que foi apresentado” disse.

- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Vené ainda declarou que não faz opções por um ou por outro e que o seu desejo é apenas a recomposição da sigla.

“Nós não estamos a discutir preferências entre A ou B, todos nós sabemos a importância e a força política e eleitoral do ex-governador Ricardo Coutinho como também sabemos o trabalho, os valores e merecimentos do governador João Azevêdo tanto para que o projeto fosse vitorioso quanto para que esse projeto fosse sequenciado. Eu não estou a fazer opções, eu desejaria que houvesse a recomposição e para ela eu trabalhei, mas nós temos um limite e ele chega no instante em que só os dois condutores aceitem sentar e definir novos rumos,” pontuou.

O senador ainda revelou uma conversa por telefone com Carlos Siqueira onde ele deu a notícia de que Azevêdo não iria ao encontro desta segunda em Brasília.

“Eu tinha falado com o próprio presidente Carlos Siqueira por telefone ele me perguntava se o governador João Azevêdo estaria presente à reunião em Brasília e eu dizia que ele não estaria, pedia desculpas e iria fazer uma justificativa por documento, mas que não se sentiria à vontade pelos motivos que ele já expos publicamente, mas enfim, agora a decisão cabe ao diretório. Ademais é isso, eu lamento profundamente porque ambos são fundamentalmente importantes ao PSB” concluiu.

PB Agora


APP do SensocriticoPB
Google Play Store Apple App Store