Paraíba
Auditor do TCE é suspeito de receber propina de R$ 200 mil

Publicado em 10/03/2020 12:45

Reprodução

Alvo da oitava fase da operação Calvário, deflagrada nesta terça-feira (10), um auditor do Tribunal de Contas do Estado (TCE) é acusado pelo Ministério Público da Paraíba de ter recebido R$ 200 mil em propina pelo operador da  organização social Cruz Vermelha, Daniel Gomes.

O pagamento seria para que ele “faltasse com seu dever funcional” durante fiscalização da auditoria do TCE no Hospital de Emergência e Trauma Senador Humberto Lucena, em João Pessoa.

Outro cenário explorado por esta fase da operação diz respeito à “força de reversão (ou de intimidação)” dos integrantes dos núcleos político e administrativo da organização denunciada. As investigações mostraram a existência de investigações privadas e a realização de dossiês para constranger, se necessário e em especial, componentes do Tribunal de Contas do Estado da Paraíba (TCE).



- CONTINUE DEPOIS DA PUBLICIDADE -

Deflagrada oitava fase da Operação Calvário

Foi deflagrada, na manhã desta terça-feira (10/03, a oitava fase da Operação Calvário, pelo Ministério Público do Estado da Paraíba, por meio do Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco/MPPB) e da Comissão de Combate aos Crimes de Responsabilidade e à Improbidade Administrativa (Ccrimp/MPPB), pela Polícia Federal (PF) e pela Controladoria-Geral da União (CGU), em regime de força-tarefa, então formada dentro do contexto da apuração. Estão sendo cumpridos mandados de busca e apreensão e de prisão temporária, nas cidades de João Pessoa, Cabedelo e Bananeiras.

A Operação Calvário, no Estado da Paraíba, foi iniciada e tem por objetivo investigar e desarticular uma Organização Criminosa (Orcrim) que, por seus agentes e núcleos de atuação, foi responsável pela prática de atos de corrupção, lavagem de dinheiro e desvio de recursos públicos em contratos firmados com as unidades de saúde e educação deste Estado e cujos valores ultrapassam a barreira de R$ 1 bilhão. Essa organização igualmente atuou em outras unidades da federação, a exemplo do Estado do Rio de Janeiro.

 


APP do SensocriticoPB
Google Play Store Apple App Store