CulturaDestaques

Ordem para censurar a deputada Estela Bezerra em evento alusivo ao Dia Internacional da Mulher partiu da Secretaria da Educação, denuncia SintepPb

Partiu da Secretaria da Educação do Estado a ordem para censurar a participação da deputada Estela Bezerra e da diretora do Sindicato dos Professores, Fernanda França, em atividade pedagógica organizada pela Escola Professor Olívio Pinto, de João Pessoa, em comemoração ao Dia Internacional da Mulher, denunciou em nota o SINTEPPB. A deputada e a diretora foram convidadas para participar desse evento  organizado pelo corpo docente do estabelecimento de ensino  e somente na véspera do dia 8 uma das organizadoras, professora Érica Montovani, tomou conhecimento do “desconvite” através de uma publicação no Instagram da gestora da escola.

Veja a nota do SINTEPB:

SEECT censura fala de mulheres em pleno 8 de Março

O corpo docente da ECIT Professor Olívio Pinto organizou uma atividade pedagógica alusiva ao Dia Internacional da Mulher neste 8 de março com o tema: Empoderamento Feminino e Dignidade Menstrual. O evento foi planejado no dia 1º de março em uma reunião entre os docentes da escola e a representação do trio gestor. Seguimos todos os preceitos pedagógicos e administrativos para o planejamento e execução da ação, em alinhamento com a coordenação da escola. Infelizmente, após uma semana de planejamento e articulação para a realização do evento, a gestora da Unidade Escolar, sem diálogo algum com os professores e professoras, resolveu censurar a participação de duas convidadas: a diretora do SINTEP e professora Fernanda França e a deputada estadual Estela Bezerra. Esta última é defensora do Projeto de Lei Menstruação sem Tabu e foi convidada pela equipe docente para debater o tema com a comunidade escolar

A Gestora da escola, em ato de censura e sem nenhum motivo plausível, informou que foi orientada pela Secretaria de Educação para cancelar o convite às convidadas, a deputada Estela Bezerra e a diretora do Sintep Fernanda França. Foi claro ato de censura, falta de democracia e total desrespeito a liberdade de cátedra dos professores. Érica Mantovani, professora da unidade, comentou indignada: “Às 21h de ontem, fiquei sabendo pelo instagram que as convidadas foram ‘desconvidadas’ pela gestora sem que tivesse se estabelecido qualquer tipo de diálogo entre a mesma e as professoras que estavam promovendo o evento.

A justificativa posterior da gestora é de que ela não tinha sido comunicada oficialmente do evento, mas existem mais de três professores testemunhas de que ela tinha total ciência do encontro.

Reveja o vídeo da censura:

Tocador de vídeo

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo