Plantão Urgente

Queiroga e mais 10 ministros são cotados como possíveis candidatos; Bolsonaro prevê trocas em 31 de março

O presidente Jair Bolsonaro, durante visita a Rondônia nesta quinta-feira (3), disse que, dos seus 23 ministros, prevê a troca de 11 que devem deixar o governo para disputar as eleições em outubro. Dentre eles, Marcelo Queiroga está cotado para deixar o cargo de ministro da Saúde para concorrer ao Senado ou ao Governo da Paraíba.

“Temos previstos, no momento, 11 ministros que vão disputar eleição. Obviamente que vamos ter ministérios-tampão”, afirmou Bolsonaro.

Segundo ele, a dança das cadeiras será no fim de março. “Dia 31 de março, um grande dia, é um pacotão: 11 saem, 11 entram. Da minha parte, vocês só vão saber via ‘Diário Oficial da União'”, disse.

Marcelo Queiroga, ministro da Saúde, tentará ser eleito senador ou governador da Paraíba. O vice-presidente Hamilton Mourão (PRTB) deverá se candidatar a senador pelo Rio Grande do Sul. Anderson Torres (PSL), ministro da Justiça, estuda pleitear o cargo de senador ou governador do Distrito Federal. Ciro Nogueira (PP), ministro da Casa Civil, irá disputar a cadeira de governador do Piauí
A ministra das Mulheres, Família e Direitos Humanos, Damares Alves (PP), ainda não definiu o estado em que disputará uma vaga no Senado. Fábio Faria (PSD), ministro das comunicações, irá definir se concorre a senador ou governador no Rio Grande do Norte.

Flávia Arruda (PL), ministra-chefe da Secretaria de Governo, sairá como senadora ou governadora pelo Distrito Federal. Já o ministro do Turismo, Gilson Machado (PSC), pleiteará o cargo de senador pelo Pernambuco.

Questionado por jornalistas se poderia ter algum nome de Rondônia, respondeu: “Eu tenho um profundo apreço pelo [senador Marcos] Rogério. A gente pode conversar, mas nada decidido ainda com ninguém, porque, afinal de contas, para evitar ciumeira”.

Reunião com presidente do Peru

Bolsonaro foi a Rondônia participar de uma reunião com o presidente do Peru, Pedro Castillo. Antes do encontro, ao ser indagado sobre o comentário “Perdemos o Peru”, que fez em junho do ano passado, quando Castillo liderava a contagem de votos nas eleições, o brasileiro afirmou estar “tudo superado
Rede Amazônica

“O que acontece: nós queremos uma América do Sul livre, liberdade de expressão, liberdade de imprensa para todos aqui. Logicamente que esse encontro aqui tem a ver com isso, nós podemos só ter boa relação se a democracia imperar de fato no seu país. Tudo superado”, disse.

O presidente brasileiro também foi questionado pela imprensa sobre a suposta pressão da diplomacia americana para que desistisse de uma viagem à Rússia prevista para este mês, em função do aumento de tensões por conta de tropas russas próximas à Ucrânia.

“Brasil é Brasil. Rússia é Rússia. Faço um relacionamento com o mundo todo. Assim como se o Joe Biden me convidar, estarei nos Estados Unidos com o maior prazer”, respondeu.

Presidente Bolsonaro visita Porto Velho — Foto: Armando Júnior/Rede Amazônica

A pressão americana, reportada pelo jornal “Folha de S.Paulo”, parece ser parte de uma iniciativa global dos Estados Unidos para isolar a Rússia em meio a preocupações com um possível conflito na Ucrânia
Encontro presidencial

Bolsonaro visitou Rondônia para se reunir com o presidente do Peru, Pedro Castillo, que veio ao Brasil para tratar sobre comércio e acesso a mercados, integração física, cooperação fronteiriça, cooperação em defesa e segurança, cooperação técnica e humanitária e combate à pandemia de Covid.

O encontro entre eles foi feito no gabinete do do governo de Rondônia, o Palácio Rio Madeira.

Jair Bolsonaro e presidente do Peru durante visita a Rondônia — Foto: Ruan Gabriel/Rede Amazônica

Na rampa de acesso ao Palácio Rio Madeira, Bolsonaro e Castillo posaram para fotos, sendo que o presidente do Peru usou máscara durante todo o encontro presidencial.

A produção de grãos estava entre os principais interesses do país andino em Rondônia. Tanto que após a reunião presidencial, Castilho foi pessoalmente com o governador Marcos Rocha conhecer as instalações da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), na BR-364, onde são desenvolvidas pesquisas agrícolas.
Desembarque

Bolsonaro desembarcou por volta de 10h no aeroporto Internacional Governador Jorge Teixeira, em Porto Velho, e cerca de 40 minutos depois se encontrou com apoiadores que estavam na área externa do aeroporto.

Jair Bolsonaro chega a Porto Velho para encontro com presidente Peruano — Foto: Hebert Novaes/CBN Amazônia

Na sequência, Bolsonaro subiu na carroceria de uma caminhonete e seguiu para o gabinete do Palácio Rio Madeira, onde mais tarde vai se reunir com o presidente do Peru.

Vários motociclistas, previamente cadastrados, fizeram uma ‘motociata’ para acompanhar o presidente pelas principais avenidas de Porto Velho.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo